Energia Solar Fotovoltaica e a Microprodução

O futuro do planeta está cada vez mais nas nossas mãos. A forma como consumimos energia pode contribuir para aliviar a pressão ambiental que exercemos sobre a Natureza.
As energias renováveis são energias obtidas de fontes naturais, capazes de se regenerar e portanto virtualmente inesgotáveis. Entre elas encontram-se a energia solar (sol), eólica (vento), hídrica (água dos rios), das ondas (água dos oceanos) e a biomassa (matéria orgânica). A energia solar, por exemplo, é uma das melhores respostas à actual dependência das fontes de energia tradicionais, tais como o petróleo, o carvão e o gás natural.


Nesse sentido, a Microprodução é um conceito revolucionário em que cada consumidor de energia se pode tornar também produtor, vendendo toda a electricidade que produz à rede pública. Para que tal se torne possível, basta proceder à instalação de um sistema gerador de pequena escala, através de painéis solares fotovoltaicos ou gerador eólico.
Segundo a legislação, o consumidor final pode ser microprodutor de electricidade em sua casa, através de painéis fotovoltaicos, mini-eólicas, mini-hídricas e cogeração a biomassa, e vender à rede eléctrica pública a totalidade da electricidade produzida em regime bonificado (limitado a 3,68 KW por instalação).

Requisitos
1. Possuir um contrato de fornecimento de energia em Baixa Tensão (BT) com a EDP (a potência máxima de ligação terá que ser igual ou inferior a 50% da contratada com a EDP, até ao limite de 3,68 KW).

2. Integrar a unidade de micro produção no local da instalação de BT existente.

3. Para ter acesso ao regime bonificado, é obrigatório:
    .instalações não integradas num condomínio (moradias, apartamentos com autorização de todos os condónimos): ter pelo menos 2 m2 de colector solar térmico instalado.
    .instalações integradas num condomínio: é dispensada a obrigatoriedade dos painéis solares térmicos, mas exige a realização de uma auditoria energética e implementação de medidas de eficiência energética indicadas.

4.    Candidatar-se, efectuando registo no SRM (Sistema de Registo de Microprodução disponível no sitio http://www.renovaveisnahora.pt).

Benefícios
Devido à remuneração bonificada, estes investimentos na energia fotovoltaica tornam-se muito rentáveis, permitindo uma amortização dentro de 6 a 8 anos. (DL nº 363/2007 e DL nº 118A/2010).
Este incentivo associado à venda de electricidade é, assim, utilizado para promover a água quente solar, complementando o Decreto-lei nº. 80/2006, de 21 de Abril, que estabelece a obrigatoriedade de instalação destes sistemas nos novos edifícios.

A tarifa prevista para o regime bonificado cujos registos sejam aceites e atribuídas potências de ligação, em 2010, e até ao limite da quota de 25MW definida para este mesmo ano será válida pelo período de 15 anos e terá a seguinte renumeração: Nos primeiros 8 anos de ligação o tarifário terá um valor fixo de 0.40 €/KWh e nos 7 anos seguintes a tarifa bonificada terá um valor de 0.24 €/KWh.
A tarifa de referência é fixada em 400 €/MWh para o primeiro período e em 240 €/MWh para o segundo período, nos termos do nº. 3, sendo o valor de ambas as tarifas sucessivamente reduzido anualmente em 20 €/MWh.
Após esse período aplica-se o regime geral, sem limite temporal, cuja tarifa é igual ao custo da energia disponibilizada pelo comercializador do fornecimento `a instalação de consumo.
Isenção de imposto (IRS) sobre os rendimentos provenientes da venda da electricidade produzida até ao valor de 5.000€.
Benefícios fiscais no ano correspondente à aquisição do equipamento, através de dedução no IRS de 30% do respectivo valor, com o limite máximo previsto para o ano 2010 de 803€.

Degerenergie® – Solar Tracking Systems

O processo fotovoltaico é a conversão directa de luz solar em corrente eléctrica e é feita com o auxílio de módulos solares. Na sua forma básica, a tecnologia é muito simples.

O Módulo
Os módulos solares de tecnologia Cristalina, são fabricados a partir de pastilhas (wafers) de silício. A introdução intencional de diferentes impurezas específicas cria um sistema feito de silício sensível à luz. Com a tecnologia do “filme fino”, os materiais semicondutores são aplicados numa placa de vidro. Quando o sol incide no módulo solar, desenvolve-se uma tensão nas células de silício ou nos materiais semicondutores e é então gerada corrente eléctrica.

O Sistema
Um sistema de energia solar é composto por um determinado número de módulos ligados em série e/ou em paralelo, que em conjunto formam aquilo que é conhecido como “corda” (string). Várias “cordas” (strings) estão ligadas em paralelo com um inversor, que transforma a corrente DC em AC. Isso permite que a energia eléctrica produzida com a radiação solar possa ser utilizada ou fornecida à rede pública para consumo em 230V de tensão alterna.


A Luz
A energia solar eléctrica de origem solar é produzida tanto a partir de luz solar directa, como da luz difusa em dias nublados. Para extrair o máximo desempenho do sistema, componentes devem ser perfeitamente compensados e optimamente ajustados para se adequar ao tipo de instalação, edifício e sua localização geográfica.

A Reciclagem
Um sistema fotovoltaico é um ciclo natural, do início ao fim. É quase totalmente reciclável. Desde o vidro, o silício, o alumínio (molduras dos módulos), o cobre dos cabos eléctricos, todas as matérias-primas são reutilizáveis. Eles formam o que é, para todos os efeitos, um ciclo ecológico fechado.

Ligação à Rede
Os módulos fotovoltaicos geram energia em corrente DC a partir da luz solar que incide nos mesmos, que posteriormente, será convertida em corrente alterna de 230 Vac a 50Hz através de um conversor, efectuando depois a ligação à rede pública (EDP).


a)    Módulos solares fotovoltaicos;
b)    Inversor;
c)    Contador de produção;
d)    Contador de consumo;
e)    Portinhola PC/P;
f)    Rede pública (exemplo: EDP).
 



Estudo Económico

Simulação do retorno simulado do investimento em 15 anos.
Sistema fixo (orientado a Sul e 30 graus inclinação)

  • Potência do gerador fotovoltaico = 4.140 Wp
  • Energia entregue anualmente  (simulada) = 6.828,89 KWh
  • Valor total do investimento c/IVA incluído = 19.500 €
  • Retorno simulado ao fim de 15 anos = + 10.316,18 €



Gráfico 1 - Simulação retorno com sistema “fixo” (DL 118A / 2010 de 25 Out.)

 

Sistema Seguidor (2 eixos móveis)

  • Potência do gerador fotovoltaico = 4.140 Wp
  • Energia entregue anualmente (simulada) = 8.877,56 KWh
  • Valor total do investimento c/IVA incluído = 23.500 €
  • Retorno simulado ao fim de 15 anos = + 15.261,05 €


 
Gráfico 2 - Simulação retorno com “seguidor” (DL 118A / 2010 de 25 Out.)